Significados Natannael Mesquita

Qual o real significado da Páscoa?

Qual o real significado da Páscoa

Vivemos num mundo de inversão de valores, quem crer assim? Nesse mês, no dia 1 de Abril se comemorou o que? O Dia da Mentira. E quem disse que a mentira merece homenagem? E quem é o pai da mentira? Basta ler João 8.44 ou Pv 13.05 e vamos achar essa resposta. Mundo de valores invertidos, de princípios esquecidos. Nós não somos filhos do diabo, dessa forma, não devemos mentir, nem de brincadeira.

Também estamos chegando em uma outra data: a Páscoa. E quando se fala em Páscoa, só se lembra de ovos e coelho. Não é difícil encontrar pessoas pensando que a Páscoa tem haver com ovos de chocolate ou coelhos. Pois se tornou uma data tão comercial que poucas pessoas sabem seu verdadeiro significado. Mas e você? Sabe o real significado da Páscoa?

Vamos Ler Êxodo 12 para entendermos melhor:

O Senhor disse a Moisés e a Arão, no Egito:
“Este deverá ser o primeiro mês do ano para vocês.
Digam a toda a comunidade de Israel que no décimo dia deste mês todo homem deverá separar um cordeiro ou um cabrito, para a sua família, um para cada casa.
Se uma família for pequena demais para um animal inteiro, deve dividi-lo com seu vizinho mais próximo, conforme o número de pessoas e conforme o que cada um puder comer.
O animal escolhido será macho de um ano, sem defeito, e pode ser cordeiro ou cabrito.
Guardem-no até o décimo quarto dia do mês, quando toda a comunidade de Israel irá sacrificá-lo, ao pôr-do-sol.
Passem, então, um pouco do sangue nas laterais e nas vigas superiores das portas das casas nas quais vocês comerão o animal.
Naquela mesma noite comerão a carne assada no fogo, juntamente com ervas amargas e pão sem fermento.
Não comam a carne crua, nem cozida em água, mas assada no fogo: cabeça, pernas e vísceras.
Não deixem sobrar nada até pela manhã; caso isso aconteça, queimem o que restar.
Ao comerem, estejam prontos para sair: cinto no lugar, sandálias nos pés e cajado na mão. Comam apressadamente. Esta é a Páscoa do Senhor.
“Naquela mesma noite passarei pelo Egito e matarei todos os primogênitos, tanto dos homens como dos animais, e executarei juízo sobre todos os deuses do Egito. Eu sou o Senhor!
O sangue será um sinal para indicar as casas em que vocês estiverem; quando eu vir o sangue, passarei adiante. A praga de destruição não os atingirá quando eu ferir o Egito.
“Este dia será um memorial que vocês e todos os seus descendentes o comemorarão como festa ao Senhor. Comemorem-no como decreto perpétuo.
Durante sete dias comam pão sem fermento. No primeiro dia tirem de casa o fermento, porque quem comer qualquer coisa fermentada, do primeiro ao sétimo dia, será eliminado de Israel.
Convoquem uma reunião santa no primeiro dia e outra no sétimo. Não façam nenhum trabalho nesses dias, exceto o da preparação da comida para todos. É só o que poderão fazer.
“Celebrem a festa dos pães sem fermento, porque foi nesse mesmo dia que eu tirei os exércitos de vocês do Egito. Celebrem esse dia como decreto perpétuo por todas as suas gerações.
No primeiro mês comam pão sem fermento, desde o entardecer do décimo quarto dia até o entardecer do vigésimo primeiro.
Durante sete dias vocês não deverão ter fermento em casa. Quem comer qualquer coisa fermentada será eliminado da comunidade de Israel, seja estrangeiro, seja natural da terra.
Não comam nada fermentado. Onde quer que morarem, comam apenas pão sem fermento”.
Então Moisés convocou todas as autoridades de Israel e lhes disse: “Escolham um cordeiro ou um cabrito para cada família. Sacrifiquem-no para celebrar a Páscoa!
Molhem um feixe de hissopo no sangue que estiver na bacia e passem o sangue na viga superior e nas laterais das portas. Nenhum de vocês poderá sair de casa até o amanhecer.
Quando o Senhor passar pela terra para matar os egípcios, verá o sangue na viga superior e nas laterais da porta e passará sobre aquela porta; e não permitirá que o destruidor entre na casa de vocês para matá-los.
“Obedeçam a estas instruções como decreto perpétuo para vocês e para os seus descendentes.
Quando entrarem na terra que o Senhor prometeu lhes dar, celebrem essa cerimônia.
Quando os seus filhos lhes perguntarem: ‘O que significa esta cerimônia? ’,
respondam-lhes: É o sacrifício da Páscoa ao Senhor, que passou sobre as casas dos israelitas no Egito e poupou nossas casas quando matou os egípcios”. Então o povo curvou-se em adoração.
Depois os israelitas se retiraram e fizeram conforme o Senhor tinha ordenado a Moisés e a Arão.
Então, à meia-noite, o Senhor matou todos os primogênitos do Egito, desde o filho mais velho do faraó, herdeiro do trono, até o filho mais velho do prisioneiro que estava no calabouço, e também todas as primeiras crias do gado.
No meio da noite o faraó, todos os seus conselheiros e todos os egípcios se levantaram. E houve grande pranto no Egito, pois não havia casa que não houvesse um morto.
Naquela mesma noite o faraó mandou chamar Moisés e Arão e lhes disse: “Saiam imediatamente do meio do meu povo, vocês e os israelitas! Vão prestar culto ao Senhor, como vocês pediram.
Levem os seus rebanhos, como tinham dito, e abençoem a mim também”.
Os egípcios pressionavam o povo para que se apressasse em sair do país, dizendo: “Todos nós morreremos! ”
Então o povo tomou a massa de pão ainda sem fermento e a carregou nos ombros, nas amassadeiras embrulhadas em suas roupas.
Os israelitas obedeceram à ordem de Moisés e pediram aos egípcios objetos de prata e de ouro, bem como roupas.
O Senhor concedeu ao povo uma disposição favorável da parte dos egípcios, de modo que lhes davam o que pediam; assim eles despojaram os egípcios.
Os israelitas foram de Ramessés até Sucote. Havia cerca de seiscentos mil homens a pé, além de mulheres e crianças.
Grande multidão de estrangeiros de todo tipo seguiu com eles, além de grandes rebanhos, tanto de bois como de ovelhas e cabras.
Com a massa que haviam trazido do Egito, fizeram pães sem fermento. A massa não tinha fermentado, pois eles foram expulsos do Egito e não tiveram tempo de preparar comida.
Ora, o período que os israelitas viveram no Egito foi de quatrocentos e trinta anos.
No dia quando se completaram os quatrocentos e trinta anos, todos os exércitos do Senhor saíram do Egito.
Assim como o Senhor passou em vigília aquela noite para tirar do Egito os israelitas, estes também devem passar em vigília essa mesma noite, para honrar ao Senhor, por todas as suas gerações.
Disse o Senhor a Moisés e a Arão: “Estas são as leis da Páscoa: Nenhum estrangeiro poderá comê-la.
O escravo comprado poderá comer da Páscoa, depois de circuncidado,
mas o residente temporário e o trabalhador contratado dela não comerão.
“Vocês a comerão numa só casa; não levem nenhum pedaço de carne para fora da casa, nem quebrem nenhum dos ossos.
Toda a comunidade de Israel terá que celebrar a Páscoa.
“Qualquer estrangeiro residente entre vocês que quiser celebrar a Páscoa do Senhor terá que circuncidar todos os do sexo masculino da sua família; então poderá participar como o natural da terra. Nenhum incircunciso poderá participar.
A mesma lei se aplicará ao natural da terra e ao estrangeiro residente”.
Todos os israelitas fizeram como o Senhor tinha ordenado a Moisés e a Arão.
No mesmo dia o Senhor tirou os israelitas do Egito, organizados segundo as suas divisões.
Êxodo 12:1-51

O que aprendemos com essa passagem?

  • Devemos dividir o que temos com o próximo

“Se uma família for pequena demais para um animal inteiro, deve dividi-lo com seu vizinho mais próximo, conforme o número de pessoas e conforme o que cada um puder comer”.
Êxodo 12:4

Vivemos em um tempo em que ao invés de dividirmos, fazemos é tirar, mas Deus sempre nos ensinou a sermos misericordiosos e pensarmos na dor e na necessidade do nosso próximo. Infelizmente temos falhado nessa área, então a Páscoa é tempo de dividir com os mais necessitados e atender aos mais pobres e não só na Páscoa. Olha o que nos diz Pv. 14:31 “O que oprime o pobre insulta àquele que o criou, mas o que se compadece do necessitado o honra”.

  • Um cordeiro sem mácula, sem defeito

“O animal escolhido será macho de um ano, sem defeito, e pode ser cordeiro ou cabrito”. Êxodo 12:5

“No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo“.
João 1:29

Jesus é o cordeiro. Ele largou seu trono e venho morrer por nós (mesmo nós sendo sujos e pecadores). Isso é motivo suficiente para você glorificar a Deus. Tá difícil? Ele abriu mão do seu trono e da sua majestade por amor a ti.

Veja também:

 

  • O sangue é sinal

“O sangue será um sinal para indicar as casas em que vocês estiverem; quando eu vir o sangue, passarei adiante. A praga de destruição não os atingirá quando eu ferir o Egito”. Êxodo 12:13

Sabe o que significa a palavra Páscoa: do hebreu “pesah”, que significa “pular além da marca/ sinal”, “passar por cima”, “poupar”. Deus te marcou com seu sangue, tem em você um sinal, uma marca e quando o inimigo te ver tem escrito: esse não, pula, esse é marcado com o sangue do cordeiro.

  • Você deve trocar o Coelho pelo Cordeiro

1 Co 5.7 (parte b) “Aquele cordeiro que foi imolado, era Jesus, ele é o real sentido da Páscoa”.

Esse é o significado da Páscoa. Um cordeiro sem mácula, sem pecado, que pelo seu sacrifício te marcou com seu sangue, te livrando da morte e te concedendo vida. Você é lavado e remido pelo sangue. Esse sangue livrou os israelitas da morte e hoje nos livra. Devemos clamar pelo sangue de Jesus.

Em outro momento, vou falar de forma mais detalhada sobre o significado da Páscoa no Velho e Novo Testamento, sua origem e mais do seu significado.

Amém.

Natannael Mesquita

Sobre o autor | Website

Cristão apaixonado por Jesus e por Sua Palavra / Servo de Deus, diácono, intercessor / Formado em Publicidade e Propaganda/ Casado com uma princesa

GARANTA GRÁTIS O SEU E-BOOK 1000 PERGUNTAS BÍBLICAS
Receba também os melhores artigos, estudos bíblicos, curiosidades bíblicas, reflexões e muito mais no seu e-mail!

100% livre de Spam