Curiosidades Significados Tatiana Duarte

O que são Evangelhos Sinóticos e quais são?

Permita-me “atrapalhar” sua leitura apenas por alguns segundos: Eu gostaria de saber se você quer experimentar (por 1 mês) estudar a Bíblia capítulo por capítulo, aí no conforto do seu lar, em vídeo-aulas profundas e com linguagem simples, de seu computador, tablet ou celular? SE SIM, clique aqui e veja como funciona

evangelhos-sinóticos

Os Evangelhos ditos sinóticos são os livros de Mateus, Marcos e Lucas e são assim chamados por apresentarem fatos e narrativas bastante semelhantes um com os outros, mesmo tendo sido escritos por pessoas diferentes.

O nome sinótico vem do grego – συν, “syn” («junto») oοψις, “opsis” («ver») –  ou seja, “Mesma Visão”. Várias passagens bíblicas são registradas nos 3 evangelhos quase que de forma idêntica, porém com algumas similaridades, como por exemplo na passagem que fala sobre Jesus orando no Getsêmani um pouco antes de ser preso (Mateus 26:36-46; Lucas 22:39-46 e Marcos 14:32-42), esse episódio é narrado pelos 3 autores, porém, apenas Lucas trás o fato que Jesus, em tão grande agonia, transpira sangue, talvez por ser médico, Lucas trás em mais detalhes esse fato. Diferente de Mateus e Lucas, o livro de Marcos é mais corrido, mais narrativo, sem tantos detalhes e podemos observar que mesmo sendo livros parecidos seus autores escrevem baseados em suas experiências.

Mesmo observando certas diferenças e alguns textos que aparecem em uns e não em outros o geral da escrita e a cronologia dos fatos é a mesma em todos eles, fazendo deles escritos sinóticos, pois possuem uma mesma visão.

 

Quais as fontes para os escritos? E porque são tão parecidos?

Alguns estudos apontam que o livro de Marcos teria sido o primeiro livro a ser escrito e serviu de base para Lucas e Mateus, visto que todos os escritos de Marcos são narrados nos outros dois evangelhos. Quanto as outras passagens que não estão presentes em Marcos acredita-se que existiu uma segunda fonte, chamada de fonte Q, esse escrito foi perdido e hipoteticamente usado por Lucas e Mateus, essa teoria é chamada Teoria das duas fontes. Dentre as fontes utilizadas podemos citar também as oculares, testemunhas que viveram a história, que estavam presentes nos acontecimentos e puderam narrar detalhes ao autores.

 

Veja também:

 

Os evangelhos sinóticos não incluem João?

Não podemos confundir evangelhos canônicos com evangelhos sinóticos. Os evangelhos canônicos realmente incluem os livro de Mateus, Marcos, Lucas e João como sendo os únicos evangelhos aceitos pela maioria das denominações cristãs como legítimos e que portanto integram o Novo Testamento da Bíblia. Porém, o livro de João não se enquadra na categoria de sinótico por não ter a mesma abordagem dos 3 primeiros. João aborda a história de vida de Jesus de modo substancialmente diferente dos demais evangelhos, visto que o autor descreve Jesus como um Messias com um carácter divino, que traz a redenção absoluta ao mundo. João conhecia Jesus intimamente, sabia quem Ele era e qual o seu chamado na terra, João 3: 16-21 nos mostra isso, porém por ter sido o último evangelho a ser escrito acredita-se que João possa ter usado os demais como fonte de informação.

 

Conclusão

Todos os evangelhos nos trazem informações valiosas sobre os acontecimentos ocorridos durante a vida de Jesus e nos fazem ficar mais perto de Cristo. Aprendemos sobre sua missão, seus milagres, seu caráter, compaixão, amor e entrega. Os evangelhos sinóticos juntamente com o livro de João nos trazem uma narrativa plena dos fatos ocorridos naquela época e uma interligação com o velho testamento.

Tatiana Duarte

Sobre o autor | Website

Serva de Deus, servindo na Casa do Senhor como diaconisa e intercessora. Esposa apaixonada

GARANTA GRÁTIS O SEU E-BOOK 1000 PERGUNTAS BÍBLICAS
Receba também os melhores artigos, estudos bíblicos, curiosidades bíblicas, reflexões e muito mais no seu e-mail!

100% livre de Spam

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!